Heather Antos, editora da Marvel e Lucasfilm, fala sobre desafios nas HQs

No Dia Internacional da Mulher, o POPOCA traz personalidades femininas que fazem da cultura pop e nerd o que é. Uma de nossas primeiras escolhidas foi Heather Antos, editora e consultora de storytelling que conta com uma carreira sólida em quadrinhos envolvendo a Marvel e a Lucasfilm como destaques além de já ter trabalhado com Deadpool e outros personagens. Alguns exemplos de seu trabalho podem ser conferidos pelas publicações da Jambô Editora, que publica a série Valiant, e no Social Comics.

Leia também a entrevista com Charlaine Harris, escritora norte-americana

Heather AntosEm uma entrevista por e-mail, Heather revelou um pouco sobre os desafios que esperam as mulheres que querem trabalhar com quadrinhos. Ou simplesmente em contar histórias. Confira:

Antes de mais nada, estamos em um mundo que está sempre mudando e nos inspirando. Você tem um trabalho muito importante na indústria e se tornou uma referência para garotas e garotos que querem trabalhar com quadrinhos ou em storytelling. Quem eram as suas referências no começo?

Heather Antos: Enquanto crescia, não tinha muitas “pessoas de verdade” que fossem modelos ou inspiradoras. Sempre fui o tipo de pessoa que forja meu próprio caminho e marcha com meu próprio tambor. Não havia muitos ícones de mulheres fortes trabalhando na cultura pop na época – certamente não tanto quanto há hoje – e eu sempre achei que era minha meta ser o modelo para quem está crescendo hoje, que queria ter quando era criança.

Como disse, você é uma referência para meninas e mulheres que tentam trabalhar no campo de quadrinhos. Existe algum conselho que você possa dar a elas?

Heather Antos: Não há melhor momento para fazer quadrinhos do que agora. Entre sites como Comixology, Webtoons, Tumblr, Instagram e Twitter, onde você pode carregar suas próprias criações para o mundo gratuitamente, e convenções de quadrinhos surgindo em todas as cidades do país, as oportunidades para criar e fazer seu trabalho ser visto são maiores e melhores do que nunca. Não há literalmente nada que impeça você de criar. Tudo o que você precisa fazer é acreditar em si mesma, fazer o trabalho e mostrar ao mundo.

Sobre o seu trabalho, você faz consultoria de histórias e trabalha como editora, mas qual é o seu objetivo na vida, se você pudesse escolher apenas um trabalho, qual deles seria?

Heather Antos: Eu estou vivendo isso. Meu objetivo sempre foi criar personagens e histórias que se conectam com o mundo, que inspiram as pessoas a continuarem quando as coisas ficam difíceis, e mostrar que não importa em que situações sombrias a vida traga, você tem o que é necessário para sobreviver. ser forte e fazer coisas incríveis. Cada um de nós tem esse poder dentro de nós. E trabalhar em uma indústria onde compartilho minhas próprias histórias assim como ajudo outras pessoas a compartilhar, é uma coisa incrível a cada dia.

No seu site, você diz qHeather Antosue ama pinguins … muito. Mas não me lembro de um trabalho em quadrinhos que você colocou essa paixão na página …

Heather Antos: Engraçado você mencionar isso … tem sido um projeto paralelo divertido tentar encaixar pinguins em todos os projetos que trabalho. Gwenpool tem uma mochila de pingüim … há pinguins escondidos em DeadpoolPenguinpool 2099 faz uma aparição … pinguins aparecem em cartazes no quarto de Annie em Amazing Spider-Man: Renove seus votos, etc etc. Tornou-se uma espécie de brincadeira para tentar com os criadores e pinguins furtivos também – até em projetos em que não tenho nada a ver!

Voltando ao mundo e à era em que vivemos. Trump, Bolsonaro … Estamos vivendo em uma era de discurso de ódio. Você era um alvo, mas gosto de ver que também é um escudo. Como reagiu a esse tipo de discurso?

Heather Antos: Há tanta negatividade no mundo hoje que pode ser muito fácil ficar preso em um espaço onde isso é tudo o que vemos, ouvimos e consumimos. É tão insalubre, porém, e ninguém deveria se forçar a passar por isso todos os dias. Tendo uma plataforma tão grande quanto eu, tenho visto como minha responsabilidade ser um farol de entusiasmo e positividade na indústria – especialmente quando há muita negatividade por aí. Por que falar sobre coisas que você odeia quando há tanto com o que se entusiasmar? Não traga os outros para baixo, mas os levante. Não envergonhe, mas eduque.

Acho que você e eu crescemos em tempos que muitas pessoas dizem que o machismo e outras coisas do tipo são muito erradas. Agora, estou preocupado sobre como as crianças vão crescer em um mundo que nós temos líderes dizendo coisas nojentas que não preciso mencionar. O que quadrinhos podem ser para essas crianças?

Heather Antos: Quadrinhos – especialmente quadrinhos de super-heróis – devem ser uma inspiração para todos nós, não apenas crianças, para o nosso potencial para o bem. Por fazer a coisa certa. Superman não é Superman, porque é à prova de balas. Ele é o Super-Homem, porque ficava no caminho de um tiro para salvar alguém, porque é a coisa certa a fazer. E isso é inspirador.

Por último, mas não menos importante: quase um ano atrás, você twittou: você não é velha demais e não é tarde demais. Existe alguma história naquele dia que possa inspirar as mulheres?

Heather Antos: Sinto que muitas vezes nos damos limites superficiais. Precisamos realizar XYZ até este ano, nesta idade, neste prazo. Colocamos as expectativas sociais dos outros acima de nossa própria felicidade, achando que a aprovação dos outros preencherá alguma necessidade, nos fará felizes. Mas no fim das contas, precisamos estar felizes conosco mesmas. Precisamos encontrar nossas próprias paixões e persegui-las. Você nunca é velho demais para fazer uma mudança em sua vida. Nunca é tarde para aprender algo novo. Ponto.

Please follow and like us:

Related Post