Mary Poppins (o livro)

Eis um livro que fiquei com vontade de ler depois de ter visto o filme sobre a autora P.L.Travers, Saving Mr. Banks (em português Walt nos bastidores de Mary Poppins) com Tom Hanks e Emma Thompson, muito indicado aliás. Soma-se a isso o fato que está na lista para o Desafio Literário para março e temos um prato cheio.

spoiler free

Claro que o comprei numa promoção do Kindle, e como ele era ilustrado, acabei lendo no celular, o que foi um teste bastante interessante para o aplicativo, que já até utilizei outras vezes e está aprovadíssimo, pelo menos no meu aparelho.

Mary Poppins me surpreendeu, antes eu imaginava algo mais parecido com o filme dos anos 60, mas depois de ter visto Saving Mr. Banks passei a achar que talvez não fosse bem assim, e mesmo assim o livro me surpreendeu. Primeiro porque a personagem é absolutamente diferente do que foi apresentado pela Julie Andrews sorridente e cantante do Walt Disney, sendo muito mais inglesa do que eu imaginava, o que, na verdade, não deveria ter sido uma surpresa, mas foi. Segundo, o livro é até grandinho, tem muito mais histórias do que eu esperava, e algumas até bem psicodélicas, o que achei extremamente interessante.

E claro, o livro fez tanto sucesso que tem diversas continuações, o que mostra que essa moda não é de hoje. E, claro, fiquei com vontade de lê-las. Aliás, em 2018 uma dessas continuações virou filme com a Emily Blunt como Mary Poppins. Chegou a ser indicado a algumas categorias do Oscar, incluindo melhor música, e justamente não levou nenhuma. O filme não é essa coisa toda, vou logo avisando. A única coisa boa é que estimulou lançarem em português o livro do filme, A volta de Mary Poppins.

Em português, foi lançado há razoavelmente pouco tempo uma edição de Mary Poppins comemorativa de 80 anos do seu lançamento, uma coisa lindíssima da Cosac Naify, mais um motivo para chorar o fechamento da editora.

Nota 10.

Please follow and like us:
error