Cinco professores que Bolsonaro odiaria

O Brasil é um país que acha que a solução é a educação, mas tem um governo que odeia o professor. Em manifestação contra os cortes no ensino, que podem esterilizar uma geração de brasileiros, a maioria do país se posicionou contra a medida. Enquanto isso, o presidente Jair Bolsonaro, que ainda não botou os pés no Nordeste, odiaria alguns mestres que só existem na ficção, talquei?

 

Merlí

Um professor que ensina história e obriga seus alunos a pensarem por si mesmos. Que passa o dia mostrando como a filosofia os torna capazes de dialogarem com emoções e questões que desconheciam e que não tem medo de viver como quer. O professor Merlí e seus Peripatéticos, certamente, seriam alvo de perseguição do governo mais ideológico que esse Brasil já teve.

John Keating (Sociedade dos Poetas Mortos)

Afinal de contas, oh captain, my captain. Imagine um professor que fizesse seus alunos amarem a poesia mais do que uma carreira financeiramente promissora na medicina? John Keating (Robin Willians) não só seria impedido de dar aula como correria o risco de ser preso – ou linchado – por ordens do bolsonarismo depois que alguém se matasse por ter um pai autoritário.

Aliás, o pai, Mr. Perry (vivido por Kurtwood Smith) de Sociedade dos Poetas Mortos, certamente teria votado 17 e tirado foto fazendo arminha, certo amigos?

Dumbledore

Um diretor de escola que desafia o governo para proteger seus alunos certamente não se dariam bem com um presidente que defende tortura e ditadura militar.

Dona Marocas

Sim, a professora de Chico Bento. Não entendeu?

Ela é muito humanista. E sempre defende Chico Bento e seus alunos, independente do grau de conhecimento de cada um. Ao corrigir suas redações, por exemplo, se preocupa mais com o conteúdo do que com a gramática. Sempre se utilizando de exemplos retirados do cotidiano de seus alunos, a professora de Vila Abobrinha é, obviamente, seguidora de Paulo Freire, patrono da educação brasileira.

E como qualquer brasileiro que estuda e é uma referência intelectual é odiado por Bolsonaro e seu séquito, dona Marocas seria perseguida por esse governo. Aliás, se houvesse algum celular na história haveria ate quem gravasse suas aulas.

Ainda bem que Dona Marocas está a salvo nos gibis da Turma da Mônica.

Charles Xavier

Citou Martin Luther King e falou em igualdade de todos? Bom, vocês já sabem, né?

 

(Colaborou Eva Miranda)

Please follow and like us:
error