Cinco razões para nerds NÃO serem reacionários

Caros Nerds,

Está na moda o discurso de ódio. Há quem confunda isto com liberdade de expressão e até vemos o Facebook punindo quem deve com o expurgo de páginas que disseminavam o que lhes interessava. Apesar de reações assim, vemos uma ascensão do reacionarismo. Ou seja, pessoas que defendem uma manutenção do status quo social e político diante de propostas de mudança social ou de ideias voltadas para a transformação da sociedade saíram da toca.

Desenhe seus personagens favoritos de anime e mangá

O mais curioso disso tudo é notarmos isto justamente em nerds. Afinal, boa parte cresceu vivendo o bullying e aprendendo a duras penas a importância da diversidade, que nos deixa mais inteligentes. Deveríamos ser os primeiros a não apoiar candidatos reaças em eleições ou repudiar qualquer coisa que não pregue igualdade de gêneros, religiões e qualquer outro tipo de aspecto que nos torna multifacetados.

Há zilhões de motivos, mas listei cinco universos nerds que servem como razões para nenhum de nós sermos reacionários ou apoiarmos esta onda que circula por aí. Duvida? Vamos lá:

Star Trek (Jornada nas Estrelas)

UHURA é evidência NERD para você não ser reaça

Desde o Capitão James T. Kirk, até Jean Luc Picard e muitas outras naves espaciais, Jornada nas Estrelas nos ensinou que representatividade importa. Mais do que isto: a federação é uma organização interplanetária, mas que vivia sob um rígido código de honra que impedia que interferisse em outras culturas.

Nada de pilhar, matar e coisas do tipo. E, é claro, respeitar as diferenças e as pessoas de outros países. Ou mundos.

Ou seja, vale para venezuelanos e klingons, ok?

O que aconteceria se…

Como ser reaça e ler o que acontece com o Superman, Nerd?Sempre gostei dos What If. Ou seja, histórias que mostravam o que aconteceria se os personagens tivessem seguido por um caminho ou por outro diferente do usual nas cronologias usuais. Uma das minhas favoritas vinha na saga Armageddon 2001. Tempus checava qual era o futuro de cada um para ver quem se tornaria o Monarca, o ditador que dominou seu mundo. Com direito a estátua e tudo, no melhor estilo Stálin.

No futuro alternativo, Lois Lane morre e o Super-Homem passa a querer manter o mundo como um lugar seguro a todo custo. Sem se importar muito com o que o planeta pensa de tudo isso, inclusive. Não é tão diferente do que acontece em O Reino do Amanhã, exceto que aqui o Homem de Aço comprou a treta para valer.

Todo esse supercuidado vai sendo perdoado pelos outros heróis de plantão. Até que, por acidente, o Batman é informado de que o azulão matou fuzileiros navais sem querer. Na sequência, o cara mata o Ajax sem querer querendo.

Sem muita escolha, o Homem-Morcego desafia Kal-El e acaba matando o cara com aquela kritponita que o herói lhe confiou nos quadrinhos (imagem à direita). “Quem irão enviar quando for a minha vez?”, diz Bruce Wayne ao final.

A lição é clara: não adianta tentar mudar as coisas à força, o mundo cedo ou tarde se realinha.

Mas não sem fazer amizades ruírem, acidentes ocorrerem, pessoas morrerem… E tudo isto com a melhor das intenções. Não é mole não, nerd…

She-Ra

A Princesa do poder é algo nerd pra carambaEsse era um clássico exemplo. De um lado do multiverso, He-Man era um príncipe de um reino que vivia numa boa, mas sempre vinha um vilão para estragar tudo e impor um regime para lá de opressor. Duvida? Era só olhar para o outro lado onde sua irmã, She-Ra, enfrentava Hordak e sua horda,no reino de Ethéria.

Vale lembrar que Hordak era tão ruim, mas tão ruim, que era o mentor de Esqueleto, que tentou ser ditador em Etérnea… Sim, lá pelos lados do Castelo de Greyskull.

Ah e todo final de episódio dos lados de Etérnia, He-Man dava um conselho para os amiguinhos. Tinha quem mudava de canal nessas horas:

Achava engraçado ele falar em terceira pessoa na hora de se despedir…

Star Wars (Guerra nas Estrelas, nerds)

Palpamito? Nerd que curte Star Wars e vota em Bolsonaro, não entendeu o filme...

Esta talvez seja a mais gritante. Você tem uma república que foi derrubada por guerreiros (AKA militares) e que a força instaurou uma era de medo e de força. Ou seja, uma ditadura militar. De lá para cá, surgem rebeldes (ou, resistência) que lutam pelo fim da ditadura, digo, Império. Star Wars deveria ser exibido para todo mundo que acha que a “polícia só mata vagabundo” ou coisa do tipo. A coisa é quase tão ridícula quanto aquela montagem dos Ewoks Reaças que circula há tempos na web (imagem ao lado).

Afinal de contas, é gente por aí apoiando candidatos a presidência que precisam provar na justiça que não são racistas,. E que não respeitam a diversidade sexual e acham tranquilo defender ditaduras. É mais ou menos mesmo como se todos os ewoks batessem palmas para o Darth Vader enquanto ele cortasse suas cabeças.

O sujeito crê nisso e se emociona com Que A Força Esteja Com Você? Nerd, você está do lado negro da força. Eu, hein.

X-Men

X-Men: uma minoria perseguida por uma maioria. Nerd entende...

Essa daqui talvez seja a mais descarada de todas. Como alguém pode ter crescido lendo X-Men e as histórias dos filhos do átomo sem notar o que significam? Afinal de contas, Stan Lee criou os personagens justamente pensando nas diferenças que nos separam e também nos unem. Os personagens além de problemas que os tornavam mais humanos, também eram de diferentes nacionalidades. Como Tempestade (Ororo), de origem africana.

Os personagens também faziam uma analogia a diversos conflitos sociais que rolavam nos Estados Unidos. Seja entre brancos e negros ou até com imigrantes. Charles Xavier, por exemplo, era uma representação de Martin Luther King, enquanto Magneto mais próximo de Malcom X. Afinal, Eric Lensher era muitas vezes interpretado como vilão e outras como uma reação ao preconceito.

Não é a toa que até hoje os personagens são tão populares. Tem nerd que deveria voltar e reler, inclusive…

Please follow and like us:

Related Post